Histórico Vacina Tríplice

A Vacina DPT ou Tríplice Bacteriana, foi desenvolvida em 1942 por Louis Sauer, Pearl Kendrick e Grace Eldering, vindo a ser o primeiro imunizante contra a coqueluche e a primeira vacina a imunizar contra mais de um microrganismo.

 

Grace Eldering, cientista americana da área da saúde.

Fonte: Michigan Women’s Hall of Fame

 

Pearl Louella Kendrick, Bacteriologista, 1940.

Fonte: University of Michigan

Em 1988, o TECPAR, obteve do Ministério da Saúde, por meio do “Programa Nacional de Autossuficiência em Imunobiológicos” a aprovação para desenvolvimento do projeto de produção das vacinas bacterianas: Vacina Tríplice DTP uso pediátrico e Vacina Dupla DT uso adulto, com demanda de 10 milhões de doses/ano.

Nos anos 90, inicia-se a construção de 3 laboratórios integrados para produção da Fração Tetânica, Fração Diftérica e Pertussis além do Laboratório de Formulação, Envase e Acondicionamento das vacinas, obedecendo as Normas Internacionais de Boas Práticas de Fabricação.

 

Construção do prédio destinado a produção das vacinas bacterianas, CIC, 1991.

 

Assinatura do Convênio com a Fundação Nacional da Saúde, em 23 de julho de 1993, para o fornecimento da Vacina Tríplice (DTP) de uso pediátrico contra Difteria, Tétano e Pertússis.

 

Produção experimental da fração diftérica, componente da vacina tríplice (difteria, tétano e pertussis).

No ano de 1998 o TECPAR em parceira com o Instituto Pasteur Mérieux envasou 8 milhões de doses da DTP.

 

Laboratório prédio vacinas bacterianas,1998.

Entre os anos 1999/2000 o TECAR em parceria com o Instituto Butantan envasou 4 milhões de doses da vacina DTP, e 3 milhões de doses da vacina DT adulto, vindo a produzir também 10 lotes experimentais da Fração Tetânica a granel, sendo o processo de purificação terceirizado pelo Instituto Butantan.

 

 

Em 2001 o TECPAR forneceu 3 milhões de doses da vacina DT uso adulto e 1 milhão de doses da vacina Tríplice DTP. Tendo em vista as novas portarias do Ministério da Saúde Vigilância Sanitária para produtos imunobiológicos, contratou-se a empresa RBPharma para assessorar e acompanhar os trabalhos de readequação do novo layout, bem como implementar o sistema de purificação das frações da vacina tetânica.

 

Funcionários da Vacina Tríplice, 2001

Em 2002 faces as novas exigências da resolução normativa RDR 134/ MS e Portaria 175/MS, e em atendimento às especificações técnicas no Convênio com a Fundação Osvaldo Cruz, para o processo de produção de Anatoxina tetânica, o TECPAR desenvolveu, em escalas laboratorial, o processo de purificação da fração, permitindo a produção de seis lotes experimentais.

Em 2003 foram finalizadas as obras do laboratório para produção da Proteína Monomérica Tetânica (PMT), o insumo é utilizado na elaboração da vacina quádrupla (Tríplice+Meningite B). O laboratório obteve a aprovação do Instituto Biomanguinhos,  unidade da Fiocruz, responsável pela produção do imunobiológico para produção da proteína, vindo em 2005 a ser entregue o primeiro lote do produto.

 

Interior do Laboratório de Produção de Proteína Monomérica Tetânica – PMT, 2006.